Tag

Arquivos giroditalia - Grampér Ciclismo de Estrada

Comunicado importante

By Notícias No Comments

A organização Grampér, seguindo prática de algumas das melhores provas internacionais de ciclismo, vem anunciar uma importante inovação em seu regulamento. Os participantes poderão optar, durante a competição, por fazer o percurso médio ou o longo.

Numa busca contínua por proporcionar segurança e a melhor experiência possível ao atleta, a prova terá pontos de controle ao longo de todo o circuito. Assim, aqueles que estejam inscritos no percurso médio e desejarem fazer o longo, terão apenas que completar todo o trajeto, sem a necessidade de qualquer informação prévia aos organizadores. O mesmo raciocínio vale, evidentemente, para aqueles que estejam inscritos no percurso longo e optarem por fazer o curto. 

Todos terão seus tempos devidamente cronometrados e estarão aptos a concorrer ao pódio em suas categorias e a receber a medalha de participante.

Os organizadores decidiram também retirar um trecho do percurso longo que se repetia. O referido trecho obrigaria os atletas a passar duas vezes entre os trevos Ramon e Boa Nata (vide mapa abaixo). Assim, o percurso longo passa a ter 120 quilômetros de extensão e 1.700 metros de altimetria acumulada. Contudo, o trajeto principal do percurso longo continua o mesmo, qual seja: largada no Parque das Águas de São Lourenço, passagem por Pouso Alto, em seguida pelo município de Caxambu, e chegada novamente no Parque das Águas de São Lourenço. 

O percurso médio mantém-se inalterado. Os atletas do médio não vão até o município de Caxambu. Eles farão o retorno no alto da serra de Caxambu, voltando a São Lourenço.    

As mudanças aqui anunciadas visam a tornar a prova mais dinâmica e segura, após verificações técnicas realizadas no evento teste do dia 31 de março deste ano.

  •  

 

Inscreva-se no Grampér – Circuito das Águas! Um desafio inédito no ciclismo nacional. Faça a sua inscrição aqui!

Que venha o Giro d’Italia 2019

By Aconteceu no Ciclismo No Comments

Em 1909, nasce uma das principais competições do ciclismo mundial, o Giro d’Italia. Uma das três grandes voltas da UCI, o Giro surgiu da rivalidade de dois jornais italianos, Gazzetta dello Sport e o Corriere della Sera, que realizava o Giro d’Italia de automóveis. A Gazzetta já tinha organizado o Giro di Lombardia em 1905 e a Milão-SanRemo em 1907.

O Giro logo se tornou um grande concorrente do Tour de France e também uma competição muito querida na Itália. A “maglia” rosa se tornou o símbolo de poder e glamour.

Nos primeiros anos, os italianos dominaram suas estradas. Gino Bartali e Fausto Coppi travaram as mais duras e disputadas batalhas, mas os franceses desafiaram o domínio italiano. O principal deles foi Jacques Anquetil.

Mais tarde houve uma era chamada “era Merckx”. Em sete anos (1968 a 1974), Eddy Merckx conquistou cinco títulos, entrando no seleto grupo de maiores campeões do Giro, junto com os italianos Alfredo Binda e Fausto Coppi.

O também italiano Mário Chipollini detém o maior número de vitórias de etapas da competição, com um total de 41.

O Giro ficou marcado por batalhas históricas entre Coppi/Bartali, Saronni/Francesco Moser e Induarin/Marco Pantani.

No próximo dia 11 de maio, se inicia do Giro D’ITALIA 2019. Serão novas batalhas e novas histórias.

Que venha o Giro 2019.

Por Mauricio Motta

Inscreva-se no Grampér – Circuito das Águas! Um desafio inédito no ciclismo nacional. Faça a sua inscrição aqui!

UCI promove mudanças no calendário de 2019

By Aconteceu no Ciclismo No Comments

A UCI (Union Cycliste Internationale) promoveu algumas mudanças de calendário para o ano de 2019.

A primeira mudança está no Giro d’Itália, que será atrasado em uma semana. A diferença entre o Giro e o Tour de France, que era de seis semanas, passa a ser de apenas cinco. Essa decisão diminui o tempo de recuperação dos atletas que pretendem disputar as duas grandes voltas.

Outra decisão importante foi a unificação da Volta de Dubai e da Volta de Abu Dhabi, que agora formarão a Volta dos Emirados Árabes Unidos.

Além disso, a Tirreno Adriático será simultânea à Páris Nice. Já a Volta da Turquia alterou suas datas para não acontecer acontecer junto com a Volta da Lombardia, a última clássica monumental do ano.

Por Mauricio Motta.

Gostou das mudanças? Deixe seu comentário.

Venha fazer parte da prova de ciclismo de estrada Grampér – Circuito das Águas. Pedale em uma das melhores estradas do país e em uma região com inúmeras belezas naturais. Inscreva-se aqui.

Aconteceu no Ciclismo: O Giro d’Itália de 1988

By Aconteceu no Ciclismo No Comments

Por Mauricio Motta

O Giro d’Italia 1988 foi um dos mais difíceis e surpreendentes da história. Montanhas, tempestade de gelo, um americano e uma história de superação.

Naquele ano não havia um italiano que figurasse entre os principais favoritos. Isso fez com que a organização realizasse uma prova altamente montanhosa, transformando o Giro em uma batalha totalmente aberta, sem favoritos.

Houve muitas reclamações, como a do americano Bob Roll da 7-eleven, que disse: “AQUELES DESGRAÇADOS COLOCARAM TODAS AS MONTANHAS QUE TINHAM NA ITÁLIA PARA A GENTE ESCALAR!”.

Além de tudo, uma tempestade de gelo caiu sobre os competidores na 14° etapa, fazendo com que muitos deles abandonassem a prova. A tempestade foi tão forte que obrigou a mudança do local da largada da 15° etapa.

O Giro de 88 ficou marcado não somente como um dos mais difíceis da história, mas também como uma das quatro vezes que nenhum italiano subiu no pódio. Seria um castigo para eles? Pela primeira vez na história um não europeu venceu uma grande volta.

O americano Andrew Hampsten da 7-eleven, em meio àquela icônica tempestade de gelo na 14° etapa, tomou a camisa rosa do italiano Franco Chioccioli e a levou até a última etapa, em Veneto.

Aquele Giro também mostrou a garra do espanhol Pedro Delgado, que lutou contra a hipotermia e terminou derrotado a quase 18 minutos do campeão Hampsten. Delgado deu a volta por cima vencendo o Tour de France um mês depois. A derrota se transformou em uma grande vitória.

Histórias que mostram porque o ciclismo é apaixonante.

*Fotos de Pedro Delgado na tempestade de gelo um mês antes do triunfo em Paris.