Tag

Arquivos alimentação - Grampér Ciclismo de Estrada

Grampér fecha parceria com a GU Energy

By Notícias No Comments

O Grampér – Circuito das Águas tem o prazer de anunciar a GU Energy como parceira! A empresa é referência mundial em produtos para melhorar o desempenho nutricional de atletas de alto rendimento.

No Grampér, a GU vai disponibilizar Energy Gel no kit atleta e também Drink Mix nos postos de abastecimento. Tudo para maximizar sua performance durante a prova.

Além do Energy Gel e do Drink Mix, a GU também produz Sroopwafel e pastilhas efervescentes de hidratação.

Atualmente a marca GU é líder absoluta no mercado mundial, e nos EUA detem 70% de market share. Atua em mais de 40 países (5 continentes) e mantém seu compromisso com o meio ambiente, utilizando embalagens recicláveis. É a única marca de gel no mundo que produz o seu próprio produto (fábrica própria).

Faça como a GU. Venha fazer parte desse grande desafio do ciclismo nacional. Inscreva-se já no Grampér – Circuito das Águas.

Performance, nutrição e suplementos

By Notícias No Comments

Escrever um texto sobre nutrição para uma prova de ciclismo de estrada, como o Grampér – Circuito das Águas, é fácil e complicado ao mesmo tempo. Se você fala o básico, deixa de passar informações para aqueles que já têm maior experiência. Se você só comenta o avançado, deixa de falar sobre hidratação e gelzinho de carboidrato para o iniciante. E se você informa sobre tudo, o texto fica enorme. Vou tentar resumir, mas ao mesmo tempo passar os pontos principais para os dois públicos.

Pré-prova 

No dia a dia treinamos e fazemos alguma dieta. Muita gente usa o ciclismo como melhoria para a qualidade de vida e saúde, reduzir colesterol, melhorar diabetes e hipertensão. Então, essas pessoas possuem dietas restritivas. Os que treinam muito volume ou muitos dias, também acabam tendo alguma restrição, pois é difícil repor o glicogênio dos músculos com tal sequência de treinos.

Então não temos como fugir da redução de volume de treinos no pré-competição e também do famoso aumento do carboidrato, conhecido por muitos como “carbo load”. Para um “mediofondo”, apenas um dia de aumento na ingestão de carboidratos no almoço e jantar já seria suficiente. Já para um “granfondo”, vale a pena fazer este aumento em dois dias.

No dia da prova, uma regra geral seria tomar um café da manhã maior que o usual, cerca de 1h30 a 2h antes da largada. Entre cinco e dez minutos antes do início, recomenda-se consumir um gel ou uma banana (aproximadamente 20-25 gramas de carboidrato ou 80-100 kcal de carboidrato).

 

Durante a prova

 A teoria diz para hidratar com 500ml a 800ml de líquidos a cada hora de treino ou prova. Estes líquidos em competições, preferencialmente devem ser isotônicos, pois contêm a água, que obviamente hidrata, calorias, para se manter em esforço intenso, e os minerais sódio e potássio, para que os músculos estejam em correto funcionamento.

Para pessoas pequenas e em esforços moderado-leves é possível fazer uma prova longa somente com o isotônico e não comer nada, mas quanto maior é seu peso corporal ou quanto maior o esforço, mais calorias você irá gastar, e estas devem ser repostas na forma de carboidrato (gel, barra, banana, bananada, pães).

É cada vez mais comum vermos o aumento do uso das cápsulas de sal. Sim, uma pessoa com peso alto se esforçando numa temperatura elevada vai perder bastante sal. Uma pessoa com peso normal, homem com 65-80kg, também pode ter a necessidade de repor sal extra na forma de cápsulas se a prova for de longa duração (de quatro horas em diante).

 

Pós-treino e pós-prova

Muitos praticantes de atividade física hoje terminam o exercício e somente focam na proteína, na forma de comida em ovos ou na forma de suplementos com whey protein. Mas também é preciso repor o glicogênio muscular. Adicione pão a seus ovos, troque o whey por enduror R4/restore ou bata seu whey com alguma fonte de carboidrato.

 

Modernidades

Hoje temos uma quantidade grande de produtos, mas queria destacar dois que uso muito com pacientes:

PALATINOSE – é um carboidrato lento, em geral proveniente da beterraba. Sua utilização traz benefícios a partir de duas ou três horas de exercício. Seu final de treino ou final de prova será com mais energia e você terá melhor desempenho. Posologia 15 a 30 gramas antes de sair para treinar e na sua 2ª garrafinha da bike.

BCAA em pó – o uso do BCAA não é nenhuma novidade. Com o surgimento do BCAA em pó com sabores mais agradáveis, começou a aparecer o tal do “intra-treino” ou “trans-treino”. Duas marcas nos Estados Unidos já adicionam também uma mistura de minerais. Assim, o BCCA não apenas reduz a fadiga e melhora o desempenho, ele também hidrata. Posologia 5 a 10 gramas antes da atividade e a cada 2-3h de treino.

Lembre-se sempre que o acompanhamento de um profissional é fundamental na prática de esportes em alto nível. Procure um especialista para ter o melhor tipo de orientação.

Bons treinos e boa prova!

Faça a sua inscrição na prova de ciclismo de estrada Grampér – Circuito das Águas. Serão dois circuitos desafiadores para você aproveitar ao máximo. O médio tem 88km e o longo tem 154km. Participe desse desafio clicando aqui!

 

Sobre o autor:

Rafael Braune de Castro, mais conhecido como Rafael Brasília, é formado em Nutrição (Unirio), também é pós-graduado em Nutrição Esportiva (Universidade Veiga de Almeira) e Nutrição Experimental (Unirio) e é Mestre em Neurociências (Unirio).

Como atleta, pratica triatlo e ciclismo desde 1995. Completou o Ironman seis vezes e foi campeão estadual Master A de ciclismo em 2014.

Performance e saúde sem suplementos alimentares

By Notícias No Comments

A prova de ciclismo de estrada Grampér – Circuito das Águas é um grande desafio para os competidores. São dois percursos, um de 88km e outro de 154km, com muitas serras e praticamente nenhum trecho plano. Para isso, é necessário uma preparação de qualidade. E um dos pilares no treinamento para realizar grandes provas é a alimentação.

Nos dias atuais, vemos a divulgação na mídia online de varias linhas de nutrição: vegan, plant based, RAW, jejum intermitente, low carb high fat, entre outras. Mas um tema que gera bastante polarização é o uso de suplementos alimentares. Alguns amam e utilizam, enquanto outros preferem não consumir.

Para performance máxima devemos usar o máximo de recursos possíveis, mas você pode ir muito longe no treinamento, na alimentação e na melhora da qualidade de vida, antes de realmente questionar a necessidade ou não de suplementos.

No que diz respeito a carboidratos, podemos usar quase tudo, desde que no momento correto. Um alimento com alto índice glicêmico seria mais bem utilizado como energia rápida no pós-treino, como por exemplo, a tapioca, pão branco ou uma banana mais madura. Ao longo do dia, quando estamos longe do horário do exercício ideal, o uso de carboidratos mais lentos é a melhor opção. Então, a tapioca (super branca) deve ser enriquecida com fibras da chia ou linhaça, de gorduras da gema do ovo ou pasta de amendoim, para ter uma liberação mais lenta na corrente sanguínea. Neste caso, o pão branco deve ser substituído por pão 100% integral, preferencialmente, um mais artesanal. Aquela banana tão madura, que está quase estragada, deve ser evitada e você opta pela mais amarela-verde, já que ela ainda não teve seus carboidratos digeridos por enzimas.

Proteínas devem ser consumidas três a quatro vezes por dia. A dieta padrão do brasileiro contém proteína no almoço e no jantar, mas falta mais uma refeição proteica. Por isso os praticantes de atividade física em geral suplementam com o famoso whey protein. É fundamental? Não, a não ser que você seja um praticante de alta intensidade ou com dificuldades de recuperação. Comer frango à tarde ou carne no pré-treino fica complicado, então temos hoje uma grande utilização dos ovos. Entretanto, muitos trazem uma taxa alta de calorias e a gema é praticamente composta apenas de gorduras. A melhor solução é fazer um ovo adicionado de claras até satisfazer suas necessidades nutricionais.

E a gordura? O tal óleo de coco tão utilizado é sim uma fonte de energia ótima, só precisamos ter noção do gasto calórico do indivíduo. Duas colheres de chá têm 90 calorias, o que vale por um gelzinho de carboidrato. São propostas diferentes, pois na alta intensidade há a obrigação do consumo de carboidratos. Já nas baixas intensidades podemos optar por carbo ou gorduras. Outras opções de gorduras boas em uso são o abacate e a pasta de amendoim. Minha ressalva fica para as misturas. Uma vez que você está buscando gordura boa, tente não misturar com uma quantidade excessiva de carboidratos ou proteínas.

O clichê de nutricionista do prato colorido é diversificar as fontes de nutrientes, sejam macro (carboidratos, gorduras ou proteínas) ou micronutrientes (vitaminas e minerais). Então, para fugir do uso de polivitamínicos ou antioxidantes em cápsulas, tente sempre comer frutas em seus lanches ou como sobremesa. Nas refeições principais, almoço e jantar, coma muitos legumes e hortaliças de cores variadas.

Portanto, busque sempre uma alimentação saudável e que forneça todos os nutrientes necessários para atingir uma performance satisfatória em uma prova como o Grampér. O acompanhamento de um profissional também é fundamental.

Bons treinos e boa prova!

 

Sobre o autor:

Rafael Braune de Castro, mais conhecido como Rafael Brasília, é formado em Nutrição (Unirio), também é pós-graduado em Nutrição Esportiva (Universidade Veiga de Almeira) e Nutrição Experimental (Unirio) e é Mestre em Neurociências (Unirio).

Como atleta, pratica triatlo e ciclismo desde 1995. Completou o Ironman seis vezes e foi campeão estadual Master A de ciclismo em 2014.