UA-123984575-1
was successfully added to your cart.

Performance e saúde sem suplementos alimentares

By 11 de janeiro de 2019Notícias

A prova de ciclismo de estrada Grampér – Circuito das Águas é um grande desafio para os competidores. São dois percursos, um de 88km e outro de 154km, com muitas serras e praticamente nenhum trecho plano. Para isso, é necessário uma preparação de qualidade. E um dos pilares no treinamento para realizar grandes provas é a alimentação.

Nos dias atuais, vemos a divulgação na mídia online de varias linhas de nutrição: vegan, plant based, RAW, jejum intermitente, low carb high fat, entre outras. Mas um tema que gera bastante polarização é o uso de suplementos alimentares. Alguns amam e utilizam, enquanto outros preferem não consumir.

Para performance máxima devemos usar o máximo de recursos possíveis, mas você pode ir muito longe no treinamento, na alimentação e na melhora da qualidade de vida, antes de realmente questionar a necessidade ou não de suplementos.

No que diz respeito a carboidratos, podemos usar quase tudo, desde que no momento correto. Um alimento com alto índice glicêmico seria mais bem utilizado como energia rápida no pós-treino, como por exemplo, a tapioca, pão branco ou uma banana mais madura. Ao longo do dia, quando estamos longe do horário do exercício ideal, o uso de carboidratos mais lentos é a melhor opção. Então, a tapioca (super branca) deve ser enriquecida com fibras da chia ou linhaça, de gorduras da gema do ovo ou pasta de amendoim, para ter uma liberação mais lenta na corrente sanguínea. Neste caso, o pão branco deve ser substituído por pão 100% integral, preferencialmente, um mais artesanal. Aquela banana tão madura, que está quase estragada, deve ser evitada e você opta pela mais amarela-verde, já que ela ainda não teve seus carboidratos digeridos por enzimas.

Proteínas devem ser consumidas três a quatro vezes por dia. A dieta padrão do brasileiro contém proteína no almoço e no jantar, mas falta mais uma refeição proteica. Por isso os praticantes de atividade física em geral suplementam com o famoso whey protein. É fundamental? Não, a não ser que você seja um praticante de alta intensidade ou com dificuldades de recuperação. Comer frango à tarde ou carne no pré-treino fica complicado, então temos hoje uma grande utilização dos ovos. Entretanto, muitos trazem uma taxa alta de calorias e a gema é praticamente composta apenas de gorduras. A melhor solução é fazer um ovo adicionado de claras até satisfazer suas necessidades nutricionais.

E a gordura? O tal óleo de coco tão utilizado é sim uma fonte de energia ótima, só precisamos ter noção do gasto calórico do indivíduo. Duas colheres de chá têm 90 calorias, o que vale por um gelzinho de carboidrato. São propostas diferentes, pois na alta intensidade há a obrigação do consumo de carboidratos. Já nas baixas intensidades podemos optar por carbo ou gorduras. Outras opções de gorduras boas em uso são o abacate e a pasta de amendoim. Minha ressalva fica para as misturas. Uma vez que você está buscando gordura boa, tente não misturar com uma quantidade excessiva de carboidratos ou proteínas.

O clichê de nutricionista do prato colorido é diversificar as fontes de nutrientes, sejam macro (carboidratos, gorduras ou proteínas) ou micronutrientes (vitaminas e minerais). Então, para fugir do uso de polivitamínicos ou antioxidantes em cápsulas, tente sempre comer frutas em seus lanches ou como sobremesa. Nas refeições principais, almoço e jantar, coma muitos legumes e hortaliças de cores variadas.

Portanto, busque sempre uma alimentação saudável e que forneça todos os nutrientes necessários para atingir uma performance satisfatória em uma prova como o Grampér. O acompanhamento de um profissional também é fundamental.

Bons treinos e boa prova!

 

Sobre o autor:

Rafael Braune de Castro, mais conhecido como Rafael Brasília, é formado em Nutrição (Unirio), também é pós-graduado em Nutrição Esportiva (Universidade Veiga de Almeira) e Nutrição Experimental (Unirio) e é Mestre em Neurociências (Unirio).

Como atleta, pratica triatlo e ciclismo desde 1995. Completou o Ironman seis vezes e foi campeão estadual Master A de ciclismo em 2014.

Deixe uma resposta

1
×
Dúvidas e informações pelo WhatsApp